26 de abril de 2014

ORQUÍDEAS SENTEM, ORQUÍDEAS ESCUTAM, ORQUÍDEAS RESPONDEM, MAS NÃO DEVEM TRAFEGAR


"É extremamente fácil enganar a si mesmo; pois o homem geralmente acredita no que deseja" - Demóstenes  

Engana a si mesmo quem não acredita nas respostas das plantas. Ainda há tempo, pergunte a uma delas!

Perde quem nunca conviveu com uma orquídea e dela conquistou a confiança para trocas, sejam elas de cor, odor ou apenas olhares.

A delicadeza, perfeição e odor de suas flores são bálsamo para corações aflitos ou em devaneios.

Não precisa ser orquidófilo para ter estes momentos impares e recompensadores. Basta dedicar alguns minutos semanais e serás mais um de nós e, ter conhecimento de como ter espécimes da fauna ou flora nativa em casa. Tudo passa pelo conhecimento e pela obediência à lei.

As orquídeas são protegidas por lei devido ao risco de extinção de alguns gêneros e espécies em locais de desmatamento, construção de lagos artificiais e outros.

Foi criado o Centro Nacional de Orquídeas, Plantas Medicinais, Ornamentais, e Aromáticas (COPOM), por portaria do presidente do Ibama, Hamilton Casara, e anunciada, esta criação, durante inauguração do prédio do Orquidário Nacional – na sede do Instituto, coordenado pela engenheira florestal Lou Menezes. O COPOM surgiu diante da necessidade de preservar plantas coletadas, reproduzidas ou comercializadas sem nenhum controle. Sabemos que diversas espécies brasileiras foram extintas e outras estão ameaçadas de extinção.

A medida mais eficaz para preservar o meio ambiente é promover a educação ambiental nas escolas e entre nossos pares.

Então, se você está afim de conviver, em casa, com estas maravilhosas plantas conhecidas como orquídeas, fique sabendo: NÃO SE DEVE IR À MATA COLETAR ORQUÍDEAS.


O ideal é que comprem plantas reproduzidas ou de colecionadores que trabalham no beneficiamento de orquídeas.

Em outros blogs