10 de junho de 2008

Carpool, rideshare, carona legal, melhorAr o nome pode ser SOLIDARIEDADE.

Moramos em um condomínio vertical com mais 79 famílias. Aprendi a fazer contas, com amigos festeiros, de um número que possa representar a média de pessoas na família de classe média (será mesmo esse nome hoje?). O número é quatro. Bem pensado: pai, mãe e dois filhos. Bom, eu já fujo a regra; somos apenas três em casa. Vamos ao que interessa. Somos aproximadamente trezentos e muitas pessoas. Nas garagens, de nosso prédio, temos oitenta vagas, a maioria ocupada. Todos estamos vendo como anda o trânsito em nossa cidade. Li, no "O Popular" que a estimativa é que se licenciam duzentos automóveis por dia. Exagero. Fico abismado com o número de automóveis onde moro. Carros grandes, espaçosos, que parecem de uso adequado para transporte de cargas; estão no subsolo do edifício. Carros desengonçados, que se esforçam para desviar dos pilares da construção, que teimam em indicar ao seu condutor que é grande demais para aquele local. Agora o que mais me chama a atenção é a sua ocupação, geralmente eles transportam UMA pessoa. Você dispara: - "o direito a propriedade é livre"! Concordo. Porém acho ecologicamente questionável. Tenho esse direito. Não quero partir para casos particulares, nem tenho esse direito. Por quê não pensamos em sermos mais cordiais? Que tal sugerirmos uma companhia para a mesma direção que vamos? Por quê não, um bom dia? Que tal convidarmos o nosso vizinho para aquela comunhão matinal, onde poderemos agregar fatos interessantes de convívio? Esses questionamentos vem de encontro a individualidade mesquinha e descabida em dividirmos a responsabilidade de desafogarmos as ruas e nossos egos. Fica aqui a defesa da carona legal. Da repartição do ar puro para respirarmos. Além de ser legal e racional a vontade de podermos partilhar nossas virtudes interpessoais. Se não temos um transporte coletivo adequado, se precisamos de infra-estrutura ciclística é uma questão política e de voto. Façamos nossa parte.
Carona é eticamente bem vinda e necessária.

Em outros blogs