1 de outubro de 2008

"Equador Químico".

Cientistas da Universidade de York, na Inglaterra, descobriram um "Equador Químico" que divide o ar poluído do hemisfério norte da largamente pouco contaminada atmosfera do hemisfério sul.Barreira química e meteorológica

As evidências da existência do Equador Químico foram localizadas em uma faixa de 50 quilômetros de largura, sem nuvens, ao longo do Oceano Pacífico. A descoberta mostra pela primeira vez a existência de uma barreira química e meteorológica entre as duas massas de ar abaixo e acima do Equador geográfico.

A descoberta deverá impactar diretamente as previsões e modelagens climáticas, que procuram estudar a distribuição de poluentes ao longo do globo e as inter-relações entre os climas das diversas regiões.

Acima da Zona de Convergência Intertropical
Até agora os meteorologistas acreditavam que a barreira que impedia que os poluentes migrassem em maior quantidade do hemisfério Norte para o Sul era representada pela Zona de Convergência Intertropical, uma barreira formada por nuvens densas onde os ventos dos dois hemisférios se encontram.

Mas a nova pesquisa descobriu enormes diferenças na qualidade do ar entre os dois lados do agora chamado Equador Químico, que fica bem mais ao norte do que a Zona de Convergência Intertropical e tem 50 quilômetros de largura.

O estudo revelou que o monóxido de carbono tem uma concentração de 160 partes por bilhão ao norte do Equador Químico e apenas 40 partes por bilhão ao sul.
FONTE: Journal of Geophysical Research Atmospheres
October 2008
Vol.: To be published

Em outros blogs